Etecanos estão mais jovens, indica pesquisa do Vestibulinho

Em dez anos, proporção de aprovados com até 23 anos de idade foi de 75% para 80% no processo seletivo das Etecs

Fonte: Centro Paula Souza

Relatório Socioeconômico do processo seletivo das Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) mostra que os etecanos “rejuvenesceram” nos últimos dez anos. No Vestibulinho para o primeiro semestre deste ano, 80% dos aprovados têm até 23 anos – eram 75% em 2011. A maioria dos convocados continua vindo da rede pública de ensino (78%); tem renda familiar de até 5 salários mínimos (90,13%) e espera melhorar suas qualificações profissionais (61,25%). O levantamento é elaborado pela Fundação de Apoio à Tecnologia (FAT), responsável pelos processos seletivos das unidades do Centro Paula Souza (CPS).

Para o coordenador da Unidade do Ensino Médio e Técnico da instituição, Almério Melquíades de Araújo, as mudanças no mercado formal de trabalho e a flexibilização do Ensino Médio podem estar entre os fatores que contribuíram para tal cenário.

“Ao longo dos últimos dez anos, houve uma gradativa valorização do estudo por parte dos jovens e das próprias famílias brasileiras. Adolescentes que ingressavam muitas vezes de forma precoce no mundo do trabalho, hoje só podem trabalhar como aprendizes”, explica Araújo. “Isso se deve a alterações na legislação e, também, a uma percepção de que não há mais lugar no mercado para quem não possua o Ensino Médio completo.”

As variações na procura por cursos em determinados períodos são indicadores dessa evolução. Enquanto a demanda por cursos noturnos teve leve queda na última década (de 3,62 candidatos por vaga em 2011 para 3,06 em 2020), a proporção de candidatos às formações em tempo integral (manhã e tarde) mais que dobrou, saindo de 2,20 para 4,56.

“Tradicionalmente, quem opta por estudar à noite trabalha durante o dia. A maioria já tem o Ensino Médio completo e faz um curso técnico para se qualificar”, avalia Araújo. “Os jovens têm mostrado um crescente interesse em antecipar o contato com uma profissão ao escolher a formação técnica concomitante ao Ensino Médio, seja em período integral ou não. Essa tendência pode ser consequência da diversificação de oportunidades para se obter as duas formações concomitantemente, principalmente nos últimos anos.”

Possibilidades

As Etecs foram as primeiras unidades de ensino públicas do País a oferecer alternativas de cursos já adequadas às orientações da Reforma do Ensino Médio, aprovada no início de 2017. Além da oferta do Ensino Técnico Integrado ao Médio (Etim), uma das principais estratégias do CPS para aumentar as opções de quem inicia a formação profissional logo cedo foi expandir outras duas modalidades de cursos: o Novotec e os da Articulação da Formação Profissional Média e Superior (AMS).

Criado em março de 2019, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, o Novotec oferece o itinerário de formação técnica e profissional nas Etecs e nas escolas da Secretaria de Educação em três modalidades: Integrado, Expresso e Virtual. O candidato pode optar por duas modalidades de certificação, o Ensino Médio com Habilitação Técnica Profissional e o Ensino Médio com Qualificação Profissional. Em 2020, foram oferecidas cerca de 15 mil vagas nas Etecs e 5.500 nas Escolas Estaduais (EEs).

O Vestibulinho para o primeiro semestre deste ano também ofereceu 1.156 vagas para a AMS em mais de 20 municípios paulistas. No primeiro semestre de 2019, quando as três primeiras turmas foram implantadas, eram 120 vagas.

As primeiras turmas foram implantadas em Americana, na Capital e em São Caetano do Sul, com ingresso pelo Ensino Médio com Habilitação Técnica Profissional em Desenvolvimento de Sistemas. Além das três mil horas regulares, o curso tem mais 200 horas de atividades práticas dentro das empresas parcerias. As Etecs aumentaram não apenas a quantidade de vagas no curso já existente, mas expandiram o modelo para outras três habilitações: Administração, Logística e Química. Ao concluir o ciclo de três anos, o aluno poderá cursar o Ensino Superior Tecnológico em mais dois anos na Fatec correspondente, sem necessidade de novo Vestibular. Desta forma, o estudante poderá completar em cinco anos os três níveis de ensino – atualmente, são necessários seis.

Confira a variedade de opções oferecidas pelas Etecs no Guia das profissões técnicas.

Boca a boca

O levantamento registra ainda que muitos estudantes chegam às Etecs por meio de propaganda boca a boca: 70% dos aprovados declararam ter conhecido o Vestibulinho por amigos (31,35%), parentes (22,84%) e na escola (15,96%).