Estado de São Paulo bate recorde com 94 mil empresas abertas no primeiro quadrimestre

É a primeira vez que a marca é alcançada desde o início da série histórica, em 1998 

O estado de São Paulo registrou o número recorde de abertura de empresas nos primeiros quatro meses do ano, com 94.043 CNPJs. É o melhor desempenho do período já registrado nos últimos 24 anos, superando os 88.618 novos empreendimentos computados no primeiro quadrimestre de 2021 – até então o melhor. Os dados são da JUCESP (Junta Comercial do Estado de São Paulo), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo (SDE). A marca alcançada é atribuída a um conjunto de ações desenvolvidas pelo Governo do Estado, em consonância com diversas outras ações de outros órgãos, autarquias, secretarias e entidades que possuem relação direta com o setor mercantil. A JUCESP tem buscado digitalizar os serviços a fim de desburocratizar os processos e dar celeridade às novas constituições de CNPJs. Processos que levavam de 4 a 5 dias para serem concluídos chegam a ser finalizados hoje em até 24 horas.  Programas oferecidos pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico que fomentam o empreendedorismo, como o Bolsa Empreendedor, por exemplo, também são responsáveis por esse recorde e pelo crescimento da formalização em São Paulo. O Bolsa Empreendedor oferece aos desempregados ou MEIs em situação de vulnerabilidade auxílio de R$ 1.000,00, pagos em duas parcelas de R$ 500,00, e capacitação para migrar para o mercado formal, e prioriza mulheres, jovens, pretos e pardos, indígenas e pessoas com deficiência. O Estado está investindo R$ 130 milhões no projeto, com o objetivo de apoiar cidadãos, impulsionar novos empreendimentos e incentivar a retomada de pequenos negócios. “Esse resultado mostra uma política de fomento ao empreendedorismo que tem dado certo. Desburocratizar e auxiliar o empresariado tem sido a bandeira do Desenvolvimento Econômico e da Jucesp, por meio de programas de incentivo ao novo empreendedor e um sistema que desburocratiza o processo para a abertura de empresas”, comentou Zeina Latif, secretária de Desenvolvimento Econômico. Se compararmos os números de constituições no estado nos primeiros quadrimestres dos anos anteriores com 2022, temos: 2022 é 32% superior a 2019; 58% superior a 2020 e 6,1% superior a 2021. Os dados são da JUCESP (Junta Comercial do Estado de São Paulo), órgão vinculado à pasta. CNPJ por setores Por atividades econômicas, de janeiro a abril de 2022, os setores que mais registraram processos de constituições analisados e deferidos foram: – comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (26,87%); – atividades profissionais, científicas e técnicas (12,39%); – atividades administrativas e serviços complementares (12,31%).

Sobre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico exerce papel fundamental para atrair investimentos ao Estado, fomentar o empreendedorismo com foco na geração de emprego e renda e incentivar a inovação tecnológica. Além disso, oferece qualificação profissional para atender as demandas atuais e futuras do mercado de trabalho. Entre os principais programas da pasta destacam-se o Bolsa Trabalho, Bolsa Empreendedor, IdeiaGov, Banco do Povo, Empreenda Rápido e Minha Chance.

No total, são 11 órgãos vinculados à secretaria, como o Centro Paula Souza,  Instituto de Pesquisas Tecnológicos (IPT), Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e Universidade de São Paulo (USP).

 

Tags Relacionadas

Notícias
<< Anterior

Governador autoriza implantação da Fatec de Esportes na Capital

Secretaria de Desenvolvimento Econômico participa do Governo na Área da região do ABCD